10 de fevereiro de 2020

Roteiro 12 dias pela África do Sul

A África do Sul reserva inúmeras surpresas para seus visitantes, por isso, quando alguém me pergunta quantos dias ficar no país sempre respondo: o máximo que puder!! Portanto, resolvi escrever nosso roteiro de 12 dias pela África do Sul, super detalhado com tudo o que você verá no país.

Aproveite também e confira nosso post com TODAS as dicas para planejar sua viagem para África do Sul.

Roteiro África do Sul – Dia 1: Chegada Joanesburgo

Saímos de São Paulo em um voo as 17:55 do dia anterior e pousamos em Joanesburgo por volta das 7:40 da manhã horário local (no Brasil eram 2:40 da manhã).

Passado todo o trâmite da imigração, que foi bem tranquilo por sinal, apenas solicitaram a confirmação da vacina da febre amarela, seguimos para trocar alguns rands no aeroporto e comprar o chip de internet.

Nosso amigo comprou o chip de 10GB da MTN, vendido no próprio aeroporto, e foi excelente para uso durante nossos 12 dias no país.

Caso você queira sair do Brasil com seu chip de internet em mãos, aqui no blog nós somos parceiros do Viaje Conectado e você pode comprar e ainda ajudar a manter o blog ativo.

Devido as 5 horas de diferença de fuso horário, seguimos rumo ao nosso hotel, onde aproveitamos para descansar. Neste dia, não fizemos muita coisa além de ir ao shopping e mercado comprar comida.

Neste roteiro de 12 dias pela África do Sul, separamos alguns dias mais leves para adaptação ao clima e fuso do local, principalmente por estarmos viajando com um casal de amigos.

Com isto, devido ao jet lag, descansamos muito para o roteiro que iniciaria no próximo dia.
Viaje Conectado

Roteiro África do Sul – Dia 2: Cape Town (Waterfront e noite de ano novo)

Neste segundo dia de viagem, acordamos bem cedo pois tínhamos nosso voo para Cape Town (onde passamos o Ano Novo) as 6:45 da manhã, ou seja, conseguimos aproveitar bem o dia na cidade.

Assim que chegamos, retiramos nosso carro no próprio aeroporto, que já havíamos reservado previamente.

Você pode reservar seu veículo pela RentCars que é nosso parceiro aqui do blog e você ainda poderá parcelar em até 12x sem juros e ainda nos ajuda mantendo o blog ativo.

Saímos do aeroporto e seguimos direto para o Waterfront onde tivemos nossa primeira grande surpresa: que lugar!!!

O Waterfront é o local mais visitado da África do Sul, ganha até mesmo do Kruger. E é uma região na baía de Cape Town com várias lojas, food truck, shopping, restaurantes e atrações ao ar livre.

É daqueles locais que você quer ir todos os dias quando está por lá (e assim fizemos rs).

Almoçamos no W&A Food Market, que é um mercado com diversos tipos de comidas para todos os gostos. Ali realizamos diversas refeições ao longo dos próximos dias, além de ser um local super agradável.

Roteiro África do Sul

V&A Food Market

Após um delicioso passeio, fomos para nosso Airbnb, onde passamos as próximas 3 noites. Descansamos e retornamos para o Waterfront para a noite de ano novo.

Aproveite nosso desconto de R$179,00 na sua primeira hospedagem no Airbnb.

Aqui fica uma dica para quem pretende passar o ano novo por lá: o Waterfront enche bastante, então o ideal é reservar algum restaurante com antecedência.

Nós tentamos durante a tarde reserva algum e não foi possível, com isso, jantamos no V&A Food Market em um japonês delicioso que havia por lá.

Achamos um cantinho para chamar de nosso e curtimos uma agradável noite de ano novo na cidade do Cabo.

Veja também: como funciona o Airbnb?

Roteiro África do Sul – Dia 3: Cape Town (Camps Bay, Área Central e Passeio de helicóptero)

Este foi um dia atípico por ser dia de ano novo, já imaginávamos que seria um dia mais cheio, pois passamos por isso ano passado em Curaçao no nosso roteiro de 6 dias pelo país.

Então, a adaptação sempre deve fazer parte de um viajante.

Após descansarmos da noite anterior, iríamos conhecer a Table Mountain, porém devido ao feriado, estava lotada e nos orientaram não ir.

Neste caso, seguimos rumo as praias de Cape Town, e nossa primeira parada foi o Sea Point View. Este é um dos pontos turísticos bem famosos da região, mas o que mais gostei é admirar os esportistas de parapente descendo morro abaixo naquele lindo dia de sol.

Ficamos um tempo ali admirando e seguimos para Camps Bay, a mais famosa de todas.

No meio do caminho, avistamos um mirante apaixonante, e não resistimos em parar o carro para fotos.

Porém ao chegar na praia, a mesma estava LOTADA! Turistas e locais, era dia de ano novo! Mesmo cheia, não tirou a beleza do lugar.

Apesar de termos nos programado para ficar pela praia, decidimos retornar ao centro para comprar uns souvernirs em um local que haviam nos indicado. E que achado minha gente!

Gravem esse nome: African Craft Wholesale Market, é o local mais barato para comprar lembrancinhas em Cape Town e no nosso vídeo do Youtube mostramos um pouco dos descontos que eles nos deram (está valendo super conferir).

Após nos esbanjarmos nas compras em rands, retornamos para o Waterfront pois havíamos programado algumas atividades naquele dia:

Passeio Helicóptero Waterfront

Primeiro, os meninos decidiram realizar o sonho de andar de helicóptero, e partiram para a aventura que nos custou 1500 rands por pessoa (R$435,00).

O helicóptero sobrevoou as praias, o famoso estádio da copa, os 12 apóstolos e a table mountain. Segundo o relato do Caio, foi incrível!

Cape Whell – Roda Gigante

Sequentemente a este passeio, realizamos a roda gigante, ou seja, a famosa Cape Whell que custa 150 rands por pessoa.

A dica é aproveitar o horário do pôr do sol porque a vista fica incrivelmente linda.

Roteiro 12 dias pela África do Sul

Vista da roda gigante no fim do dia

Para finalizar o dia, jantamos no famoso Sevruga que fica no Waterfront mesmo de frente para o cais. O restaurante serve frutos do mar e comida japonesa, mas sem dúvidas sem forte é a comida japonesa.

Roteiro África do Sul – Dia 4: Cape Town (Table Mountain e Waterfront)

Conforme comentamos nos posts anteriores, um roteiro por Cape Town requer flexibilidade, principalmente quando o objetivo é subir a Table Mountain.

Seguindo a previsão de céu aberto do dia anterior, acordamos e fomos logo para os pés da montanha, onde parte o cable way.

Existem algumas formas de subir a montanha, sendo 5 trilhas e o famoso “bondinho”.

Quem optar em subir de trilha, é importante estar preparado e ter tempo, pois somente a subida leva em torno de 3 horas.

Nós optamos pelo Cable Way, devido ao fator tempo e também para aproveitarmos mais suas maravilhosas vistas.

O ingresso custa e  pode ser comprado antecipadamente pela internet ou diretamente na bilheteria do local.

Arriscamos e compramos na hora e foi bem tranquilo. A subida leva exatos 5 minutos e o bonde é 360 graus, então não se preocupe com o local que ficar ao entrar.

Passamos aproximadamente 2 horas lá em cima, tempo suficiente para tirarmos muitas fotos, gravar e aproveitar o lugar, que vale muito a visita.

No topo da montanha há um restaurante e também possui sinal de Wi-fi. Nós aproveitamos para almoçar por lá e a comida é bem saborosa.

Após nossa descida, quase no final do dia, claro que não podíamos deixar de retornar no Waterfront para jantarmos no V&A Food e aproveitar um pouco mais da cidade.

Uma vez que no dia seguinte, pegamos nosso Motorhome e seguimos para o Cabo da Boa Esperança.

roteiro áfrica do sul

Eita lugar que amamos: V&A Waterfront

Roteiro África do Sul – Dia 5: Cape Town (Cabo da Boa Esperança + Boulders Beach)

Sem dúvidas, este foi um dos melhores dias da viagem!

Acordamos cedo e seguimos rumo ao aeroporto de Cape Town, onde devolvemos o carro que alugamos e retiramos nosso MotorHome que passamos 4 dias com ele.

Essa sem dúvidas, foi uma das melhores experiências da viagem, nos sentimos em um filme e a facilidade de adaptação do nosso roteiro pela África do Sul foi excelente devido à flexibilidade de estar em uma casa sobre rodas.

Cabo da Boa Esperança

Percorremos uma linda estrada em direção ao Cabo da Boa Esperança.

O Cabo da Boa Esperança é a ponta do continente Africano, onde ocorre o encontro dos oceanos: Atlântico e Índico.

A entrada do parque custa 320 rands, ou seja, aproximadamente R$93,00 por pessoa.

Próximo a entrada para o pagamento da taxa, possuem umas barracas vendendo produtos artesanais, alguns feitos de madeira, outros de pedras e jóias. Ali nós compramos um Rinoceronte e nossos amigos um elefante, e foi o preço mais barato que pagamos! Custou 160 rands cada, ou seja, mais ou menos R$46,00.

As vistas do Cabo da Boa Esperança são lindas demais, e ao final da estrada, onde fica a famosa placa, é possível subir um morro onde se vê o mar, ainda mais lindo!

Ps: muito cuidado com os babuínos da região, pois eles atacam e roubam as coisas. No nosso instagram @checkinspelomundo você verá dois stories dos babuínos entrando dentro do carro de uns turistas e levando a mochila com TUDO dentro!! Inclusive, eles não conseguiram achar um dos passaportes.

Boulders Beach

Continuando nossa viagem a próxima parada foi na Boulders Beach e sua famosa praia dos pinguins.

Sim pessoal, existe uma praia com pinguins na África e que podemos acessar e vê-los de pertinho!

Devido ao fato da praia ter se tornado reserva ambiental, e fazer parte do parque nacional Table Mountain, para acessá-la nós pagamos uma taxa de preservação de R$45,00 por pessoa.

Os pinguins ficam livres na praia e circulam a vontade por toda região, porém a maior concentração deles fica na Boulders Beach mesmo.

Praia dos pinguins

Boulders Beach

Caso você queira tentar a sorte de vê-los ainda mais de perto, seguindo a direita da entrada principal da praia existe uma segunda entrada e por ali geralmente ficam muitos pinguins pela praia.

Porém é importante frisar algo: caso você os encontre pela praia, não toque nem alimento os bichinhos, pois ainda sim são animais selvagens e ali é seu lar.

Para finalizar nosso passeio, jantamos um delicioso hambúrguer em um restaurante da praia e assistimos um incrível por do sol (com direito a mais pinguins passeando por ali).

Hora de seguir para nosso camping para abastecer o motorhome e descansar … ops que camping? Nossa primeira noite com o motorhome foi cheia de aventuras.

Os campings da região estavam lotados e por falta de experiência não havíamos feito nenhum reserva, conclusão: após quase 2 horas rodando atrás de um camping, resolvemos para-lo em frente a um hotel e dormir por ali mesmo.

Você pode conferir os campings disponíveis no site caravanparks.com.
Seguros Promo

Roteiro África do Sul – Dia 6: Muizenberg Beach e Gansbaai (nado com tubarões)

Como contamos, neste dia nós dormimos literalmente na rua rs …. porém estávamos próximo a Muizenberg Beach, aquela praia famosa das casinhas coloridas.

Seguimos direto pra lá para tirar umas fotos e seguir viagem, pois as 12:00 era o passeio para nadar com tubarao lá em Gansbaai (que deu aproximadamente 2h e 30min de viagem).

Chegamos na Marine Dynamics, empresa que realizamos o passeio (@marinedynamics), no horário marcado e como já havíamos combinado tudo previamente, pagamos apenas a taxa de 25 rands por pessoa e os meninos foram ouvir as explicações do passeio.

Antes de sair para o mar, eles servem lanche e dão algumas instruções, além de falar um pouco da empresa, que tem um projeto lindo para retirada do lixo do mar e para ajudar crianças e famílias carentes da região.

Apesar de muita gente achar que é perigoso, o passeio é bem tranquilo e seguro. Você entra em uma gaiola e os tubarões veem na direção da mesma.

O Caio sempre sonhou com isso, então pra ele foi uma realização.

O valor custa 2250 rands por pessoa e uma das principais empresas da região é a Marine Dynamics, que fizemos o passeio.

Durante e após também são servidos lanches e por volta das 15:30 o barco retorna. Com isso, seguimos para Mossel Bay (aproximadamente 3 horas de viagem) e pernoitamos em um camping da região.

Roteiro África do Sul – Dia 7: Mossel Bay, Knysna Elephant Park e Robberg Nature Reserve)

Este dia foi reservado para conhecer os elefantes resgatados no Knysna Elephant Park e também para conhecer o famoso Robberg Nature Reserve.

Com isso, iniciamos o dia em Mossel Bay e seguimos em direção a Plettenberg Bay, que dá aproximadamente 2 horas de viagem. Porém como as estradas são lindas você nem sente as distâncias.

Chegamos no Knysna Elephant Park e fizemos o tour mais básico para conhecer um pouco da história do local.

O valor da entrada custa 320 rands por pessoa e esse valor ajuda na preservação dos animais que ali vivem.

Os elefantes que vivem ali foram resgatados de maus tratos ou do tráfico de marfim, pois isso na África é muito forte, os caçadores matam os animais para retirada do dente de marfim, porém os filhotes de elefantes entram em trauma e se não são resgatados em até 48 horas, tendem a morrer junto com a mae.

Por isso que existem muitas dessas instituições espalhadas pelo continente.

Após nosso passeio, seguimos para o Robberg Nature Reserve e aproveitamos suas belas paisagens.

A península é patrimônio mundial da humanidade da Unesco e uma área de proteção marinha

São 3 tipos de trilhas no parque, uma menor e duas maiores. A maior delas possui 14 km de extensão.

A entrada custa apenas 50 rands e valeu a pena conhecer.

Seguimos para o próximo camping, cedo, pois o próximo dia iniciaria super cedo.

Roteiro África do Sul – Dia 8: Tsitsikamma National Park e Jefreeys Bay

Verdadeiramente, um dos dias mais especiais da viagem!

Saímos cedo do nosso camping pois tínhamos que estar às 7:30 no Tsitsikamma National Park, pois as 8:00 iniciaria nossa aventura de kayak pelo “Storms River”.

Antes de prosseguir sobre nosso dia, vale ressaltar que é necessário pagar uma taxa de 248 rands por pessoa, ou seja, aproximadamente R$72,00.

Este não é o valor do passeio do kayak, e sim de entrada do parque e com ele é possível passar o dia e curtir as atrações por la.

Uma das principais atrações do parque é atravessar as 3 pontes, conhecidas por Storm River Bridge e realizar suas lindas trilhas, agora imagina você remar de kayak e passar embaixo dela e pelos cânions do lugar?

Untouched Adventures

Essas imagens Brasil?

Sem dúvidas, foi uma experiência incrível! Este passeio não havia sido programado iniciado no nosso roteiro, porém agradecemos muito por ter colocado.

O passeio é realizado com a Untouched Adventures (@untouchedadventures) e custa 650 rands por pessoa.

Após o passeio, uma das muitas vantagens de estar de motorhome, foi poder trocar de roupa, preparar a própria comida e retornar para o parque para aproveitar suas belas paisagens.

Saindo do Tsitsikamma, a ideia era retornar na ponte “Bloukrans Bridge” que realiza o maior bungee jumpee do mundo, porém começou a chover bastante e deixamos para uma outra oportunidade.

Seguimos para Jeffreys Bay, onde tiramos umas fotos para conhecer e tomamos um delicioso café com waffle no Taste Table Cafe.

Porém, vale observar que todas (ou quase todas) as cidades da Garden Route fecham muito cedo, chegamos neste café as 16:45 e quase não conseguimos pedir nada foi a cozinha encerra as atividades as 17:00.

Passamos nossa noite em Port Elizabeth, onde devolvemos nossa casinha e pegamos nosso voo para Joanesburgo na manha seguinte.

Roteiro África do Sul – Dia 9: Voo Port Elizabeth – Joanesburgo e deslocamento carro até Hoedspruit

Era chegado o dia de nos despedirmos da nossa casa ambulante rumo a parte tao esperada de todo o nosso roteiro na África do Sul: o Safari no Kruger.

Ainda pela manhã devolvemos o motorhome no aeroporto de Port Elizabeth e pegamos um voo com a Fly Mango sentido Joanesburgo.

Por volta de 12:00 chegamos no aeroporto e fomos direto retirar nosso carro, pois este trecho da viagem foi feito de carro.

Há voos diários de Joanesburgo para o Kruger (Hoedspruit ou Nelspruit) porém costumam sair bem mais caros do que a viagem de carro.

Conforme já mencionado, costumamos realizar nossas reservas pela RentCars que é nosso parceiro aqui do blog e você ainda poderá parcelar em até 12x sem juros e ainda nos ajuda mantendo o blog ativo.

Foram aproximadamente 6 horas de viagem (com paradas) até nosso primeiro lodge na regiao do Kruger. Nos hospedamos no Ukuthula Bush Lodge (@ukuthulabush) e foi uma grata surpresa.

O Ukuthula Bush Lodge foi inaugurado em outubro de 2019, então todas suas instalações, bem como a equipe, são excelentes.

Fomos extremamente bem recebidos, após um longa viagem, com toalhas refrescantes e em seguida um jantar, que parecia ter sido preparado especialmente para nossa chegada.

Optamos por essa parada estratégica neste hotel para descansarmos da longa viagem e nos prepararmos para os próximos dias no Safari.

Podemos afirmar que, com certeza, foi uma ótima escolha, tanto em conforto quanto em custo-benefício.

Roteiro África do Sul – Dia 10: Safari Parsons Nature Reserve

Neste dia, acordamos e aproveitamos a manhã no Ukuthula Bush Lodge e logo de cara, recebemos as boas vindas no Kruger de um Javali que apareceu nas dependências do lodge.

Após o almoço, há apenas 40 minutos dali, fica o Parsons Nature Reserve, para onde seguimos para nos hospedarmos no Parsons Hilltop Safari Camp.

Chegamos no hotel e de cara, saímos para fazer nosso primeiro safari na África.

Neste dia, apesar de não termos visto muitos animais (nenhum dos Big 5), foi o mais divertido de todos.

Pois começamos os primeiros contatos com os animais selvagens e em seu habitat, vimos alguns totalmente diferentes que não existem no Brasil, como os gnus e ainda, já de noite, nosso ranger saiu numa caçada até um leão que não foi muito bem-sucedida, pois estava escuro e não conseguimos mais encontrar com o rei da selva (não neste dia).

Roteiro África do Sul – Dia 11: Safari Kruger National Park

Um dos dias mais aguardados da nossa viagem, porém que gerou uma certa frustração para mim.

Havíamos reservado o hotel na área Great Kruger com 2 safaris inclusos, 1 de fato aconteceu, porém não sabíamos que a reserva não era próxima a alguma das entradas do Kruger e muito menos que ao fazer passeio para lá, não teríamos acesso as estradas de terra que somente reservas privadas possuem.

Saímos do Parsons às 5 da manhã e seguimos rumo ao Kruger National Park, a maior reserva ambiental da África do Sul.

O hotel organizou o passeio, porém o mesmo não estava incluso na diária e nos custou 1250 rands por pessoa.

Chegamos por volta de 7 da manhã e iniciamos nossa caça aos animais.

A princípio, não conseguimos ver uma quantidade de animais suficientes, porém decidimos seguir para o sul do parque e ali avistamos: girafas, elefantes, gnus, búfalo e leões.

Safari no Kruger

Lindos!

Infelizmente, não foi dessa vez que vimos os Big Five (motivo para retornarmos para o Kruger).

Outro ponto que influenciou bastante é que estava muito quente e por ser um passeio de dia inteiro, ficamos muito cansados e no final do dia o que mais queríamos era um banho e nosso quarto.

Apesar do desconforto do passeio, valeu a pena a realização do sonho de realizar um safari no Kruger, porém com a certeza que voltaremos para um passeio mais tranquilo.

Roteiro África do Sul – Dia 12: Retorno Kruger – Joanesburgo

Este dia amanheceu com muita chuva e com isto, acordamos cedo, tomamos nosso café da manhã e por volta de 11h já estávamos na estrada de volta para Joanesburgo.

Conforme mencionamos, o trajeto leva em torno de 6 horas, com isso, chegamos em Joanesburgo no final do dia, jantamos e já descansamos para nosso retorno ao Brasil na manha seguinte.

Roteiro África do Sul – Dia 13: Retorno Brasil

Sabe aquele lugar que supera as expectativas? Assim foi nossa experiência nesse nosso roteiro pela África do Sul, e este foi o dia de retornar ao Brasil, com uma única certeza: voltaremos em breve.

Veja também: como planejar sua viagem para África do Sul?

Reserve aqui pelo blog

  • Top